Valparaiso e seus morros coloridos

Valparaiso e seus morros coloridos

Valparaiso esta localizada a 144 km de Santiago e foi uma das cidades que mais me agradou no Chile. Espremida entre 42 morros e o Oceano Pacífico, a visão de suas antigas casas coloridas, empilhadas morro acima é simplesmente encantadora e não é a toa que ela é o principal  destino dos turistas chilenos e o segundo dos turistas estrangeiros.

Nós estávamos hospedados em Santiago e para fazer esta visita decidimos ir de ônibus. Fomos até o “Terminal de Buses de Santiago” (próxima das estações San Alberto Hurtado e Universidad de Santiago do metro) e compramos as passagens da viação Tur Bus (3.800 pesos chilenos – ida e volta) e a viagem foi muito confortável.

Desembarcamos na rodoviária de Valparaiso e saímos caminhando, meio que sem direção, a procura dos famosos elevadores. Após 3 quilômetros de caminhada, por ruas que não tinham nenhum apelo turístico, e um receio de ter perdido o dia, chegamos ao Ascensor Reina Victoria. Inaugurado em 1903, este elevador nos impressionou: primeiro pela altura de seu percurso: 30 metros e depois pelo fato de mais parecer uma frágil caixa de madeira colorida.

Valparaiso, Chile

escadarias íngremes são um grande desafio para subirmos os morros

Valparaíso, Chile

Não é a toa que existem estes elevadores. O Ascensor Reina Victoria sobe 30 metros em uma inclinação de 52 graus.

Valparaíso, Chile

ufa, chegamos ao topo

A subida até o topo é rápida e você logo perde a sensação de que o elevador vai se desmanchar e passa a curtir a paisagem. Chegando no topo desembarcamos em uma pequena praça e atravessamos uma passarela que nos levou ao Cerro Concepcion. Lá em cima temos uma bela vista do Pacífico e das casas coloridas que lembram em certos momentos, El Caminito, em Buenos Aires.

Caminhar no Cerro Concepcion é muito agradável, as suas casas coloridas, restaurantes e paredes com grafites são muito interessantes. Durante a caminhada chegamos até “Paseo Mirador Gervasoni”, onde temos o Ascensor Concepcion, que foi inaugurado em 1883, e funciona até hoje, um mirante com uma vista fantástica da baia de Valparaiso. Lá, aproveitamos e almoçamos no Café Turri, que além da excelente comida tem uma vista maravilhosa.

valparaiso, chile

casas coloridas construídas por imigrantes alemães e ingleses

Valparaíso, Chile

Daqui temos uma visão da bela igreja Luterana

Valparaíso, Chile

A arte cobre diversos muros e paredes

Valparaíso, Chile

Ascensor Concepción no Paseo Mirador Gervasoni

Valparaíso, Chile

carros do Ascensor Concepción pintados com as cores da bandeira chilena

Valparaíso, Chile

A baia de Valparaíso e alguns grafites coloridos

Valparaíso, Chile

alguém esta de olho em nós, mais uma homenagem a Pablo Neruda

Valparaíso, Chile

os grafites dão um ar alegre a Valparaiso

Valparaíso, Chile

morro colorido

Após caminhada pelo Cerro Concepcion, descemos por suas escadarias e becos até a orla do porto e enquanto andávamos por lá, pudemos ver uma outra face da cidade. Prédios antigos e imponentes, praças, cafés, e o mais legal: antigos ônibus elétricos, que apesar de aparentarem uma certa falta de cuidado em sua manutenção, são muitos simpáticos e nos lembram o passado.

Chile, Valparaiso

Ao fundo o imponente prédio da Armada de Chile na Plaza Sotomayor

Valparaiso, chile

Antigo ônibus elétrico – um dos símbolos da cidade – by IPhone

Valparaiso, Chile

momento Bad Boy

Acabamos encontrado o Ascensor Artillería, que chama a atenção pela grande fila em sua entrada e por seus elevadores  de cores psicodélicas. Inaugurado em 1892, a estação baixa esta localizada na Plaza Wheelwright e a estação alta no Paseo 21 de Mayo, bem em frente ao Museu da Marinha.

Valparaíso, Chile

Ascensor Artillería: Os olhos pintados nos elevadores são uma homenagem a Pablo Neruda

Valparaíso, Chile

Sala de máquinas

No topo do Cerro Artillería não encontramos apenas o Museu da Marinha, temos um mirante e uma série de barracas que vendem roupas e artesanato, além disto uma série de bancos nos convidam a ficar sentados, admirando o Pacífico a nossos pés. Mas confesso que preferi entrar no museu, meu ponto fraco.

Valparaíso, Chile

Vista do Porto de Valparaíso

O museu reúne uma série de artefatos navais e armamento, como torpedos, canhões e sonares, mas o ponto alto é um equipamento que não foi utilizado na água, muito pelo contrário. Na verdade foi utilizado no deserto do Atacama, em 2010 para resgatar 33 mineiros que ficaram presos por 69 dias a 700 metros de profundidade, após a mina em que trabalhavam desmoronar.

Enquanto muitos achavam que os mineiros estavam sentenciados a morte, um túnel de resgate foi construído em 33 dias, ligando a mina até a superfície e  enquanto isto a Marinha Chilena construia uma cápsula para o resgate, a Fénix; e no dia 13 de outubro, a sonda foi usada para resgata-los, um a um. Foram momentos de muita tensão no País e o resgate é motivo de muito orgulho para todo povo chileno. Não é a toa que a Fénix é hoje a atração principal do museu, e crianças e adultos fazem fila para toca-la e tirar uma foto em seu interior.

Eu mesmo não resisti, entrei na Fénix, e tive uma ideia da agonia que os mineiros devem ter sentido na viagem de 20 minutos da mina até a superfície, deve ter parecido uma eternidade.

Valparaíso, Chile

Museu Marítimo Nacional: uma surpresa

Valparaíso, Chile

O museu permite que se toque e até sente em seu acervo

Valparaíso, Chile

Um grupo de crianças cerca a Fénix, sonda usada para resgatar o grupo de mineiros presos em uma mina no Atacama

Valparaíso, Chile

enlatado na Fénix

Bom já era hora de voltar para Santiago e no caminho até a rodoviária eu já comecei a sentir uma vontade enorme de voltar a Valparaiso e seus morros. E tenho certeza de que voltarei em breve.

 

Siga o Phototravel360 no Twitter – @phototravel360

Visite o Phototravel360 no Facebook – Phototravel360

Assine o Phototravel360 por email – Phototravel360

This Post Has One Comment

Comments are closed.