A Ilha da Madeira foi um dos locais mais surpreendentes que já visitei. Apesar de pequena, com 57km de comprimento por 22 quilômetros de largura, ela proporciona ao visitante uma infinidade de atrações que fazem com que você vá embora achando que devia ter ficado um tempo maior. Foi o que aconteceu comigo, quando planejava minha segunda viagem para Portugal, decidi que deveria incluir locais que não havia visitado anteriormente, e daí surgiu a Ilha da Madeira. No início achava que 2 dias seriam suficientes, acabei ficando 3 dias inteiros e saí da Madeira sentindo uma grande frustração por não ter planejado ficar um tempo maior por lá, o que me dá a certeza de que em voltarei em breve.

A Ilha da Madeira esta distante 900km de Portugal e é na verdade um Arquipélago, composto por duas ilhas habitadas: Madeira (a maior) e Porto Santo, e por dois pequenos grupos de ilhas: as Desertas: Deserta Grande, Bugio, Ilhéu Chão e Prego do Mar que ficam a cerca de 35 km a sudeste do Funchal e as Selvagens, grupo de 3 ilhas que ficam a 290 km ao sul da Madeira: Selvagem Grande, Selvagem Pequena e o Ilhéu de Fora e que desde 1971 foram declaradas reserva natural devido a grande diversidade de flora e fauna.

Um dos pontos que mais me surpreendeu na Ilha da Madeira foi a sua infra-estrutura, que conta com um aeroporto muito bem dimensionado para a demanda da ilha, modernas estradas, com uma rede de túneis que cortam as montanhas reduzindo o tempo de viagem. Os museus são muito bem planejados e tem como foco oferecer o máximo ao visitantes, independentemente do tamanho de seus acervos. E não para por ai, Madeira conta com uma boa rede hoteleira, para todos os gostos e bolsos.

Como chegar:

Não existem vôos diretos do Brasil para a Ilha da Madeira, e como Madeira fazia parte de minha viagem a Portugal, o mais natural foi fazer uma escala em Lisboa e dali voar para a Ilha. Porto e Faro são outras cidades portuguesas que têm vôos da TAP para a ilha, mas se você estiver indo para Europa visitar outros países não se preocupe, também existem vôos diretos para Madeira saindo de diversas cidades, tais como Paris, Londres, Amsterdam, Copenhague, Bruxelas, Oslo, Helsinki, Colônia, Barcelona, Moscou e até mesmo de nossa vizinha na América do Sul, Caracas. Outra opção para chegar a ilha é via mar, e você pode optar por fazer um cruzeiro que tenha Funchal (capital da Ilha da Madeira) em sua rota. A ilha possui um excelente porto para receber os grandes navios de cruzeiro e esta pode ser uma boa opção se você não se importar de ter pouco tempo para conhecê-la. No site da MSC Cruzeiros  você pode ter mais detalhes a respeito.

Mundi - Compare Preços de Passagens Aéreas e Hoteis

Pesquise Preços

 

 

Ruby Princess ancorado no porto de Funchal

Onde Ficar:

A Ilha da Madeira possui uma ampla rede hoteleira, com hotéis para todos os gostos e bolsos, espalhada em diversas regiões da ilha, mas esta concentrada principalmente na sua capital, Funchal. Se Possível prefira um quarto com vista para o mar.

O que visitar:

Um dia na Freguesia do Monte: A Freguesia do Monte foi o primeiro lugar fora do litoral a receber moradores na Ilha da Madeira. Fundada em 1565 a região teve um forte desenvolvimento durante o século XIX, quando famílias ricas de Funchal, construíram casas de veraneio para escapar do forte calor do verão. Com o tempo, britânicos e alemães também passaram [Leia mais]
Os Carreiros do Monte: A freguesia do Monte, a primeira fora do litoral madeirense, encontra-se em uma colina em frente ao Porto de Funchal. No início da colonização da ilha, as suas encostas foram tomadas por Quintas e pequenas propriedades e para escoar a produção, morro abaixo surgiram os “carros de cesto do Monte”. Estes pequenos carros de vime, [leia mais]
Portas de Funchal: Como recuperar uma área degradada, com várias casas sem pintura e manutenção? Funchal, capital da Ilha da Madeira, descobriu uma forma simples e muito eficiente de se conseguir isto. O projeto “Arte de Portas Aberta”, levou para a Rua Santa Maria no centro velho, pintores e artistas plásticos, e eles com suas intervenções deram uma [leia mais]
Porto Moniz e suas piscinas Naturais: Porto Moniz é um dos locais que todos devem conhecer ao visitar a Ilha da Madeira. Eu estava ansioso para conhecê-la e curioso para ver a estrada que me levaria até lá, afinal meu guia, impresso em 2006, dizia que viagem era uma façanha. Esta pequena vila esta localizada na ponta noroeste da ilha, distante [Leia mais]
Pico do Arieiro, um espetáculo com 1810 metros de altura: A Ilha da Madeira é cheia de belezas naturais, grande parte delas na costa, onde o mar disputa o espaço com penhascos imensos, mas no interior da ilha também temos lindos lugares que devem ser visitados, e um deles é o Pico do Arieiro, o terceiro ponto mais alto da ilha, com 1810 de altura [Leia mais]
Ponta de São Lourenço: Um dia pela manha, sai de carro com destino a Caniçal, usando o Iphone como GPS. Inseri o endereço no Navfree GPS Live Portugal, um aplicativo gratuíto que tinha sido muito útil para me levar do aeroporto ao hotel, mas que para minha surpresa e decepção simplesmente não encontrava Caniçal na relação das cidades. Mudei [Leia mais]

 

Siga o Phototravel360 no Twitter – @phototravel360

Visite o Phototravel360 no Facebook – Phototravel360

Assine o Phototravel360 por email – Phototravel360

Edson Maiero

[ois skin=”compartilhe”]

This Post Has 4 Comments
  • Olá!!!

    Farei uma viagem a Ilha da Madeira no próximo dia 09/08/2013, e ficarei cerca de 20 dias por lá…. Estou na expectativa, pois todos falam muito bem!!!!
    Gostaria de umas dicas de onde visitar a Ilha.

    Abraços,
    Amanda Vieira

    • Amanda,

      Com 20 dias dá para você conhecer e aproveitar bem da ilha da Madeira. Para mim os lugares imperdíveis são a Freguesia do Monte, onde é “mandatório” fazer a descida com os carreiros do monte, Porto Moniz, para nadar em suas piscinas naturais, o Pico do Arieiro, um dos pontos mais altos da Ilha da Madeira e onde você pode fazer belas trilhas. Outro lugar lindo é a Ponta de São Lourenço, com vistas de tirar o fôlego. Em Funchal recomendo a andar pelas ruas do centro para ver as “portas de Funchal”, um projeto que transformou portas de casas em uma área em decadência, em obras de arte. Outro programa legal é fazer uma caminhada acompanhando uma das diversas “levadas”, canais de irrigação que cortam a ilha e servem se caminho para os caminhantes. Você pode contratar este e outros passeios, eu uma das diversas operadoras em Funchal.

  • Olá, Edson, tudo bem? Em primeiro lugar gostaria de agradecer as dicas sobre a Ilha da Madeira. Estou viajando por Portugal, fui a Madeira na semana passada e suas dicas foram ótimas, principalmente sobre a Freguesia do Monte e Porto Moniz.

    Sobre Porto Moniz, tenho algumas dicas que podem ajudar outros viajantes:

    – Há um onibus regular que faz a viagem da Avenida do Mar, no Funchal, para Porto Moniz, via São Vicente e Ribeira Brava. Custa 5,50 euros, é um ônibus tipo viagem, ou seja, bem confortável, e o passeio dura entre três e quatro horas, dependendo do número de paradas e do tempo de cada uma (elas são a critério do motorista).

    – Para quem vai de ônibus a Moniz, é melhor ir durante a semana. Fui em um sábado e os unicos coletivos disponiveis eram 9h (ida) e 16h (volta), ou seja, se perdesse algum deles, o dia de passeio ficava comprometido. Enquanto esperava o onibus de ida, vi que em dias uteis há mais opções de horário, inclusive mais rápidas.

    – Não sei se quando você esteve em Moniz o acesso as piscinas naturais já era cobrado. Agora custa 1,50 euro, é fechado com roletas e tem salva-vidas.

    – Outra boa dica da Madeira é um almoço na Freguesia de Curral das Freiras, um dos poucos pontos do Funchal de onde não se vê o mar. É um local lindo e muito tranquilo, bucólico até.

    – Quase fiz o cruzeiro de um dia a Porto Santo, mas achei caro (64 euros) e cansativo (2 horas pra ir e 2 pra voltar, com oito horas na ilha). De qualquer forma, acho que vale a dica. Tenho as informações, se interessar, posso te mandar.

    Abraços!

    • Rarael,

      Obrigado pelas dicas. Aproveite Portugal e quando voltar compartilhe conosco suas experiências por lá.

      abraço,

      Edson Maiero

Leave a comment