Uma caminhada por Paris: dicas para quem tem poucas horas na cidade

Uma caminhada por Paris: dicas para quem tem poucas horas na cidade

O que fazer se você tiver apenas algumas horas em Paris? Esta é uma pergunta que milhares de pessoas fazem a si mesmo quando tem uma escala por lá, e muitas delas simplesmente ficam plantadas no aeroporto, com medo de não ter tempo suficiente para ir a Paris e voltar. Pois bem, algumas semanas atrás, eu me perguntei exatamente isto: o que fazer em algumas horas em Paris? Estava indo para a Alemanha, mas devido a lotação dos vôos acabei tendo que fazer uma escala por lá e tive o final da tarde de sábado e o domingo pela manhã, livres, para visitar a cidade e matar a saudade, então resolvi fazer uma rápida caminhada cobrindo os seus principais pontos turísticos. No sábado foram 5 horas caminhando pela cidade e fotografando com meu Iphone, e ainda tive tempo de jantar em um restaurante italiano que gosto muito, próximo ao Louvre, a Oskian Pizzaria, que apesar dos donos serem turcos e não italianos, serve um delicioso espaguete a carbonara.

Bom vamos lá, como estava hospedado próximo ao Aeroporto Charles-de-Gaulle, peguei o trem e fui direto até a estação Chatelet-Les Halles. Já eram 17h15, mas por sorte no verão os dias são longos e eu teria ainda algumas horas de sol pela frente. Dei uma rápida passada no Centre Pompidou, e nem bem andei alguns metros em frente a ele, já fui interceptado por uma “menina muda” que me pediu para assinar uma papel em uma prancheta. Nunca entendi como funciona este golpe, pois nunca parei para dar trela, apenas acenei que não com a cabeça e segui até a praça em frente ao museu e fiquei por lá alguns minutos, admirando a sua arquitetura, na qual o “esqueleto” do prédio não está escondido sob o concreto, mas no lado externo e também fiquei olhando as diferentes figuras que se concentram por aqui, algumas tão estranhas como o prédio.

Centre Pompidou – 17h30

booking_paris

De lá caminhei alguns minutos até o Museu do Louvre, que pelo horário já estava fechado, mas isto não me incomodou, afinal sempre gostei de andar em sua grande praça, com as pirâmides de vidro,  então aproveitei para sentar um pouco nos espelhos d’água que cercam as pirâmides e observar o movimento. Aproveitando que não haviam filas, dei uma  rápida entrada na pirâmide, o que foi um “erro”, já que isto me fez decidir que na manha seguinte, usaria minhas poucas horas livres para visitar o Louvre mais uma vez.

Museu do Louvre e suas pirâmides

que tal sentar um pouco para curtir o sol do verão europeu

Leu o “Código D’Vince”? Pois bem, está é a pirâmide invertida do Louvre

Após sair do Louvre segui em direção ao Jardim de Tuileries. Localizado entre o Museu do Louvre e a Place de La Concorde e é um local de descanso, reflexão e pratica de esportes, não apenas para os parisiense, mas também para nós turistas.

que tal uma pausa para relaxar

e olha ai: a última tecnologia para aparar a grama: um bode

Atravessando o jardim saímos na Place de La Concorde, uma linda praça, com um grande obelisco e belas fontes, mas que é cruzada rapidamente pela maioria dos turistas, uma vez que atravessando a avenida chegamos na Avenida Champs-Élysées.

Estátua de um Leão no Jardim de Tuileries e ao fundo vemos o Obelisco da Place de La Concorde e a Torre Eiffel

Place de La Concorde

fonte na Place de La Concorde

Após atravessamos a avenida, chegamos a Champs-Élysées, com seu glamour, lojas de grifes caras e um cartão postal no final: O Arco do Triunfo. Caminhar por aqui chega a ser difícil, devido a quantidade de pessoas, das mais diversas nacionalidades, que tiveram a mesma idéia que você. Mas tudo bem, faz parte do passeio, admirar esta variedade de tipos humanos. Aqui para mim, três lojas são mandatórias: A Fnac para comprar eletrônicos, a da Disney para alegrar meu lado criança e a Häagen-Dazs para chupar um sorvete.

Sorria, afinal você está na Champs-Élysées

não falei que aqui você encontra umas figuras diferentes?

Chegando ao final da Avenida, temos o Arco do Triunfo, cercado de sua rotatória, imortalizada no filme “Férias Frustradas 2”, no qual a família Griswold fica horas rodando de carro na rotatória, sem conseguir sair. É verdade que o filme exagerou, mas não pense em atravessar a rua para chegar até o Arco, use a passarela subterrânea na esquina e chegue lá com segurança.

Arco do Triunfo

Faltava agora ver a Torre Eiffel e eu tinha 2 escolhas: pegar o metro, que demora em torno de 20 ~ 25 minutos, ou aproveitar que, apesar de serem 21h00, o sol ainda estar brilhando e caminhar até lá. Foi o que escolhi. A caminhada é fácil e você não precisa conhecer Paris para conseguir chegar a Torre Eiffel, basta procurá-la no horizonte e ir seguindo em sua direção. Resultado, cheguei lá em 39 minutos, e acho que valeu a pena cada passo que dei.

Rio Sena e o Bateux: não deixe de dar uma volta se tiver tempo

Torre Eiffel vista de Chaillot, um dos melhores pontos para a ver e fotografar

se quiser dar uma pausa na caminhada, aproveite para andar no carrossel em frente a torre

21h39 minutos: ufa, cheguei à base da Torre Eifel

Após andar um pouco e fazer mais algumas fotos, peguei o Metro e voltei ao aeroporto. Aqui tive um pequeno contratempo: cheguei na plataforma da estação Chatelet-Les Halles, alguns minutos após um trem para o aeroporto ter passado, e somado a isto, o próximo trem atrasou: conclusão, cheguei ao aeroporto 00h08, o que não foi problema, mas foi bom para lembrar que imprevistos acontecem, e assim sendo, se tiver que pegar o vôo no mesmo dia, me programarei para voltar mais cedo.

Na manha seguinte, domingo, voltei ao Louvre, desta vez para uma visita relâmpago, mas isto eu vou contar em outro post.

E você, quais suas dicas para quem tem pouco tempo em Paris? Compartilhe conosco na área de comentários.

Leia mais: Torre Eiffel em 360º

Leia mais: Museu do Louvre em 360º

Leia mais: Museu D’Orsay

Leia Mais: Centre Pompidou

 

Siga o Phototravel360 no Twitter – @phototravel360

Visite o Phototravel360 no Facebook – Phototravel360

Visite o Campos do Jordão 360 no Facebook – CamposdoJordão360

Assine o Phototravel360 por email – Phototravel360

 

Edson Maiero

This Post Has 4 Comments
  • Sempre vale a pena aproveitar nem que sejam algumas horas para visitar ou revisitar a cidade!!!
    Adoro passear pelo Louvre (ao redor) mesmo quando está fechado! E com a iluminação fica tão ou mais bonito! Mas é sempre um “erro” como você disse, pois acabamos sendo fisgados e não quero mais sair dali!

  • Ver o por-do-sol em cima do arco do triunfo é lindo demais e não tem fila como na Torre Eiffel!!!

    Até + !!!

    • Guilherme,

      isto é verdade, o por do sol é lindo, pena que não tem elevador…rsrs

      Edson Maiero

      • Mas pelo menos você perde todas as calorias adiquiridas nos crepes e macarrons………rs…….rs.

Comments are closed.