Uma rápida caminhada por Lisboa

Uma rápida caminhada por Lisboa

Depois de 4 anos finalmente retornei a Lisboa. Foi uma passagem rápida, apenas algumas horas para aproveitar o tempo de espera do vôo para Funchal, na Ilha da Madeira, mas valeu a pena e me mostrou que vou aproveitar muito os dias que passarei em breve na cidade.

Sai do aeroporto de Lisboa usando o serviço “Aerobus”, que por 3,50 euros te leva por um dos três roteiros disponíveis: City Center, Orient ou Financial Center. Como estava procurando um Shopping Center (típico passeio de paulista, até mesmo quando esta  na Europa), peguei o ônibus rumo ao centro. A viagem é rápida e não demorei mais de 20 minutos para chegar ao meu destino: Rossio. Como era cedo e as lojas só abririam as 10h00 passei a caminhar e matar a saudade. Pude andar pela praça do Rossio, ver suas fontes e o belo Teatro Nacional D.Maria II, mais alguns metros e estava em frente ao Elevador da Santa Justa, e dali fui em direção a Praça do Comércio. No caminho ia me lembrando de minhas andanças 4 anos atrás, e a cada esquina me surpreendia por lembrar de vários detalhes. Creio que isto se deva a fotografia, afinal, ao fotografamos imortalizamos um momento e o deixamos vivo em nossa memória. Não demorei a mudar de direção: em uma esquina os bondes que passavam me fisgaram e caminhei até a Catedral da Sé, porta de entrada para Alfama. Parar e ficar olhando os bondes passando em frente a esta velha catedral é como fazer um viagem ao passado e além de relaxante, pode render boas fotos.

Praça do Rossio

Elevador da Santa Justa

ao fundo a Praça do Comércio

bonde indo em direção a Alfama

Café A Brasileira

Retornei ao Rossio e subi em direção ao Chiado, a chuva apertava e ao procurar  um abrigo, entrei no tradicional Café A Brasileira. O senhor que me atendeu, bem como a senhora que vende cigarros, parecem fazer parte da decoração, que remete ao inicio do século XX, mas são muito simpáticos e atenciosos. Durante minha pausa para um pastel de nata, um café e uma água, perguntei no balcão onde poderia comprar um guarda chuva e a resposta foi rápida: “- não se preocupe, os vendedores acharão você”, e foi isto mesmo o que aconteceu, não dei 2 passos na calçada e apareceu um senhor me oferecendo um guarda chuva azul por 5 euros.

Após o passeio, era hora de voltar para o aeroporto e enquanto esperava pelo ônibus, fiquei admirando as muralhas do Castelo de São Jorge e pensando em minha volta daqui a 10 dias. Afinal, uma cidade com tantas atrações a serem descobertas e revividas, merece um bom planejamento.

Edson Maiero

This Post Has 6 Comments
  • Oi Edson,

    Sou fã do seu blog faz tempo. Nunca tinha visto um post com fotos P&B.

    Adorei, PARABÉNS!!!

    Abraços, Até + !!!

    • Guilherme,

      obrigado pelo comentário, realmente preciso publicar mais fotos em p&b.

      abraço,

      Edson Maiero

    • Gustavo,

      É verdade foi bem corrido, mas deu para matar a saudade e inspirar minha volta no dia 8 de maio próximo.

      Abraço,

      Edson Maiero

    • Bóia Paulista,

      Que legal, obrigado pela escolha.

      Edson Maiero

Comments are closed.