Atacama: Petroglifos e o Vale do Arco iris

Atacama: Petroglifos e o Vale do Arco iris

O tour para os Petroglifos e Vale do Arco iris é um passeio de 4 horas, que pode ser feito de manhã ou a tarde, vai depender da operadora que você escolher. Fomos com a Vive Atacama (de novo), eles nos pegaram no hotel as 8h00 da manhã e nosso primeiro destino foi o parque “Los Petroglifos de Hiervas Buenas”, onde pagamos $ 2.000 pesos chilenos pela entrada.
Você deve estar se perguntando: “que diabos são petroglifos?? (eu me perguntei isto), pois bem petroglifos são desenhos feitos em rochas pelos nativos do Atacama e que em alguns casos têm mais de 13.000 anos! Isto mesmo, TREZE MIL ANOS!! Estes desenhos eram importantes, pois como não havia um sistema de escrita, era a única forma de registro que eles tinham.
A maioria dos petroglifos que visitamos esta concentrada em um grande rochedo, no meio do deserto, e ele se parece mais como uma ilha, só que cercada de areia por todos os lados.

Chile, Atacama, Petroglifos

Neste rochedo isolado no deserto estão a maioria dos petroglifos que visitamos

O acesso aos petroglifos não é tão fácil, e a caminhada rochedo acima não é para qualquer um. Uma pessoa com joelho machucado (eu havia machucado o meu joelho na véspera), idosa, ou que tenha medo deste tipo de trilha, terá muitas dificuldades, ainda mais porque estamos a 3.600 metros, o que torna tudo mais difícil.

Esta etapa do tour me surpreendeu: eu tinha visto alguns petroglifos na Ilha de Páscoa, e não me tornei fã deles, mas aqui no Atacama, a quantidade, qualidade e variedade é muito maior, por isto achei super interessante ver os desenhos e as explicações de nosso guia e realmente recomendo a todos a fazer este passeio.

Chile, Atacama, Petroglifos

Um macaco desenhado na rocha… mas aqui não existe selva, nem macacos… Teriam eles vindo das selvas peruanas para serem negociados na região?

Chile, Atacama, Petroglifos

nosso guia, Pablo, explica o significado dos desenhos

Chile, Atacama, Petroglifos

lhamas correndo

Chile, Atacama, Petroglifos

flamingos ao por do sol

Chile, Atacama, Petroglifos

na volta ao carro passamos por um cânion

Chile, Atacama, Petroglifos

uma simpática lhama passeando pelas redondezas

Na segunda parte do tour seguimos para o Vale do Arco Íris, um lugar diferente de tudo que já havia visto, com grandes pedras e montanhas de diversas cores, que são originárias de uma grande erupção vulcânica, na qual uma grande explosão derramou rochas ricas em diferentes materiais, cada um com sua cor dominante. Por exemplo, as rochas verdes são ricas em óxido de cobre, as vermelhas têm uma alta concentração de argila, as amarelas tem muito enxofre e as brancas possuem diversos sais, em especial o lítio.
Aqui a situação é mais tranquila, basta andarmos por entre as pedras e vermos as diversas cores e formas. Infelizmente o dia estava nublado…sim dia nublado no deserto, mas não choveu. Acredito que em um belo dia de sol, que este vale ficar muito mais bonito.

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

variedade de cores oriundas de uma grande erupção vulcânica

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

verde, branco, vermelho

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

cores

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

cores

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

a argila sobre forte erosão do vento

Chile, Atacama, Vale do Arco iris

Uma parada na volta ao hotel: no fundo deste cânion um rio serpenteia no deserto

Siga o Phototravel360 no Twitter – @phototravel360

Visite o Phototravel360 no Facebook – Phototravel360

Assine o Phototravel360 por email – Phototravel360

Edson Maiero

This Post Has 2 Comments
  • Oi Edson! Ótimo relato, adorei. Uma dúvida, para quem vai fazer já todos os outros passeios, como Salar de Tara, Piedras Rojas, Lagunas Altiplánicas, você acha que o Valle del Arcoiris é indispensável, ou não tem tanto atrativo para quem já vai ver todas as outras paisagens? Obrigada!!

    • Lívia,

      Na primeira vez que fiz o Vale do Arco Iris estava nublado e achei sem graça. Mas sou persistente, tentei uma segunda vez em um dia ensolarado, e apesar de ser um lugar bonito não é indispensável.

Comments are closed.